Gaṇeśa Caturthī

वक्रतुण्ड महाकाय सूर्यकोटिसमप्रभ।
निर्विघ्नं कुरु मे देव सर्वकार्येषु सर्वदा॥

vakratuṇḍa mahākāya sūryakoṭisamaprabha  |
nirvighnaṁ kuru me deva sarvakāryeṣu sarvadā  ||

(Saudações ao Senhor Gaṇeśa) que tem uma tromba curva, um corpo imenso e cujo brilho é igual a um milhão de sóis; Ó Deva, por favor, mantenha os meus esforços (rumo ao dharma, artha, kāma e mokṣa) livre de contratempos.

Gaṇesa Caturthī

Gaṇeśa Caturthī é uma data celebrativa que acontece no mês  Bhādrapada, no quarto dia da quinzena clara do calendário hindu. O dia é dedicado à adoração do Senhor Gaṇeśa, o Deus com cabeça de elefante e que é uma das deidades mais populares do panteão hindu, por ser aquele que remove os obstáculos, Vighneśvara, sendo também Varada e Siddhida, aquele que concede os benefícios e sucessos dequalquer empreitada.

Por essa razão, no início de todas as pūjā (rituais) é sempre dedicada uma primeira pūjā específica parao Senhor Gaṇeśa, para que a pūjā principal ocorra sem empecilhos. Pelo mesmo motivo, mantras em seu nome são entoados antes dos estudos, na abertura de um comércio, no início de algum trabalho, etc.

As deidades são, em essência, Īśvara, o Senhor de todas as coisas, e toda oferenda é um ato simbólico. Assim, Īśvara nos dá a oportunidade de nos redimirmos e nos realinharmos à ordem universal através de uma ação. Neste caso, a pūjā pode nos ensinar sobre total dedicação e entrega aos pés do Senhor Gaṇeśa, que não é diferente da realidade última, Brahman.

A celebração do Gaṇeśa Caturthī segue um ritual especial. O momento principal para a execução da pūjā se dá ao meio-dia. Uma estátua de argila, lindamente pintada, é trazida e instalada em um altar decorado e preparado para tanto. Depois dos ritos preliminares, deve ser realizado o prāṇa pratiṣṭhā com mantras apropriados, para invocara presença da deidade na imagem. Segue então o ritual com 16 upacāras (oferendas). Uma parte muito importante da pūjā é oferecer dūrvā (uma espécie de grama), vinte e um modakas (o favorito doce do Senhor Gaṇeśa) e gavinhas. De acordo com o Swami Harshananda no livro Festivais Hindus e Dias Sagrados, ao ofertar dūrvā, estamos oferecendo com toda a humildade todas as coisas boas da vida que nos dão felicidade e prazer, representados pelo modaka. Já o número 21simboliza os vinte e um aspectos de nossa persona: os cinco órgãos do sentido, os cinco órgãos de ação, os cinco prāṇas (energias vitais), os cinco elementos (espaço, ar, fogo, água e terra) e a mente.

Na sequência, a imagem deve ser cerimonialmente imersa na água. Atualmente,a estátua de Gaṇeśa é mantida e adorada por um dia e meio ou até o décimo quarto dia da quinzena clara do mês Bhādrapada, depois é levada em procissão até um corpo da água (rio, mar, poço, etc), sendo então submergida.  

Existe uma crença popular de que se uma pessoa olhar para a lua no dia de Gaṇeśa Caturthī, ela será acusada falsamente por roubo ou ato similar. O mito tem sua origem nos Purāṇas (literatura hindu que conta diversas histórias sobre os devas) e numa certa narrativa do Mahābhārata (epopeia indiana que contém a Bhagavad Gītā) em que o Deus Kṛṣṇa é acusado de ter roubado a vaca que garante todos os desejos. A solução dada para a questão consistia em cantar um mantra¹ diante deum copo d’água e bebê-lo em seguida.  

Que possamos nesse dia honrar Gaṇeśa, aquele que remove os obstáculos de todas as nossas empreitadas, sejam quais forem, e que concede os benefícios e os sucessos decorrentes de sua concretização.

¹सिंहः प्रसेनमवधीत् सिंहो जाम्भवता हतः।

सुकुमारक मा रोदीः तव ह्येष स्यमन्तकः॥

siṁhaḥ prasenamavadhīt siṁho jāmbhavatā hataḥ|

sukumāraka mā rodīḥ tava hyeṣa syamantakaḥ||

Um leão matou Prasenajit, o leão foi porto por Jambavan.

Não chore, ó terna criança! Esta jóia syamantaka pertence a você.

Om sad gurave namaḥ _/\_
Escrito por Maline Ribeiro